Header Ads

Transserviços

Brasileira Náthalie de Oliveira é a segunda mulher trans mais bonita do mundo

Brasil, Venezuela e Tailândia

A brasileira Náthalie de Oliveira é a segunda mulher trans mais bonita do mundo. Isso porque na sexta-feira (10) ela foi vice-campeã do Miss International Queen 2017, considerado o Miss Universo das travestis e transexuais, em Pattaya, Tailândia.

O primeiro lugar ficou para a Miss Tailândia, Jiratchaya Sirimongkolnawin, e a terceira colocação foi da Miss Venezuela, Andrea Collazo, outra latina. 

Náthalie concorreu com 25 candidatas e, como o NLUCON anunciou, vinha se destacando e brilhando na competição. O concurso contou ao longo dos dias com show de talentos, traje típico, entrevistas para jornalistas e fotos para o Miss. Na final, ela desfilou com um lindo vestido de Ribas Azevedo.

Nas redes sociais, muita gente demostrou torcer pela brasileira. Outras disseram que Náthalie, embora estivesse impecavelmente linda, demonstrou nervosismo na passarela. E que a tailandesa, apontada como uma das favoritas por ter vencido o Miss Tiffany’s, estava mais segura competindo em casa.


Natural de Bom Jardim, interior do Rio de Janeiro, Nathálie é a quinta brasileira a subir no pódio do Top 3 do Miss International Queen, o que prova que o Brasil tem as mais belas travestis e transexuais do mundo.

Em 2015, ela venceu o Miss T Brasil e, se por um lado foi elogiada, por outro foi criticada por ter medidas fora do padrão dos concursos de beleza - questionaram até o fato de ela não ter silicone. Críticas que a miss tirou de letra.

Durante o seu reinado, a organizadora do concurso Majorie Marchi morreu e Náthalie teve que dar continuidade com a ajuda de parceiros. na preparação, ela colocou silicone e chegou a passar para readequação sexual (genital) na Tailândia.


Agora, ela prova que sua vitória foi merecidíssima. 

OUTRAS PREMIAÇÕES


A brasileira Lavine Holanda - sim, tínhamos outra brasileira concorrendo - fez bonito no desfile. E ganhou o prêmio de melhor vestido da noite. De fato, foi a mais ousada no material e no volume.  

A italiana Roberta Marta ganhou o melhor prêmio de melhor show de talento. A mexicana Giselle Valero ganhou o prêmio de melhor vídeo introdutório. E a miss Malásia Star foi a Miss amiga.

Outra categorias avaliadas ao longo dos dias foi a de fotogenia, dada para a miss Filipinas Stacy Bianco. Já o prêmio de traje típico ficou com Wanmai Thammavong, do Laos. Realmente ela investiu na produção e encheu os olhos com tamanha beleza.

Veja os vestidos:


Miss Laos (melhor traje típico) e Miss Brasil Lavine Holanda (melhor vestido)

EX-MISSES APOSTAVAM EM NÁTHALIE


Aleika no Miss International Queen 2007
Antes de iniciar o concurso, o NLUCON entrou em contato com algumas ex-misss brasileiras para dar uma opinião sobre o Miss. Todas apostavam que Náthalie estaria no pódio, podendo levar a coroa e a faixa.

Aleikasandria Barros, que em 2005 também ficou em 2º lugar no Miss International Queen, declarou que Náthalie e Lavine Holanda, outra brasileira, estão indo bem. “Só não afirmo que o Brasil leva o título porque o júri tem mais 10 dias para avaliar o potencial de cada candidata”.

Na final, ela apostava em Japão, Laos, Filipinas, Brasil e Tailândia. “Os tailandeses são muito educados e adoram misses sorridentes, simpáticas e populares. O diferencial sempre acontece quando a candidata, além da beleza, se mostra muito acessível neste sentido”.

Kimberly apostava na brasileira
Kimberly Luciana Dias, Miss Princesa World Transex 2005, apostava na vitória de Náthalie. “Ela tem as mãos de Majorie Marchi na preparação. No Brasil, ela teve uma vitória controvérsia, pois estava fora de forma para os padrões exigidos. Hoje, está mais segura, preparada, com o corpo mais tonificado e com reais chances de vencer”.

Ela destaca o brilho particular da brasileira, altura e beleza. “Ela tem tudo o que uma miss necessita, com certeza não passará despercebida”.


Duda previa ameaça da tailandesa
Duda Mena Barreto - vice miss diversidade 2012 e vice miss trans internacional 2013 -já cogitava que a tailandesa era a grande pedra no sapato do Brasil.

 “O Brasil certamente vai continuar no Top 5. Ela se destaca no conjunto, em fotos com todas as candidatas fica nítido que ela se sobressai. Tem um rosto impecável, corpo e toda sensualidade latina, que deve trazer a coroa para nós. A maior ameaça é a Jiratchaya, da Tailândia”.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.