Header Ads

Transserviços

Megg Oliveira é a 1ª doutora travesti e negra da Universidade Federal do Paraná


Megg Rayana Gomes de Oliveira apresentou na quinta-feira (11) a sua tese de doutorado na Universidade Federal do Paraná, tornando-se a primeira doutora travesti negra da UFPR. O trabalho teve o título “O Diabo em forma de gente: ( r ) existências de gays afeminados, viados e bichas pretas na educação”.

“A bicha preta migra dos cantos escuros da escola, do fundo da sala de aula para a mesa da professora”, diz o texto, que fala sobre os desafios e preconceitos vividos por professores negros homossexuais no trabalho. 

O estudo foi baseado na experiência de quatro professores de escolas estaduais: três do interior do Paraná e um do Rio de Janeiro. “Os termos usados para ofender e depreciar são os mesmos. E que eles só conseguiram se empoderar a partir do momento em que passaram a dizer: ‘Sou isso mesmo’, atribuindo conotação positiva aos termos usados como negativos e assumindo publicamente sua identidade”, diz ao Bem Paraná.

No trabalho, ela também traz relatos de sua própria experiência, quando ainda criança percebeu a identidade feminina, os preconceitos que viveu, a necessidade de viver uma identidade masculina para sobreviver até a chegada ao ensino superior. “Minha pesquisa nasceu de uma inquietação pessoal, compartilhada por vários sujeitos que, assim como eu, se movem em busca de ocupação de espaços, seja na escola, no movimento social, e/ou na ação intelectual”, disse ao site da UFPR.



A banca avaliadora de Megg Oliveira foi composta pelos professores Maria Rita de Assis César (orientadora da tese), Paulo Vinícius Baptista da Silva (UFPR), Alexsandro Rodrigues (UFES), Marcio Caetano (UFRG) e Lucimar Dias (UFPR).

A orientadora de Megg afirma que a tese é um marco e destacou a abertura da UFPR para a discussão do tema escolhido. “Grupos de pesquisa em gênero e diversidade atuam na UFPR há mais de 20 anos. É uma alegria imensa ver uma mulher travesti e negra chegar na universidade sem pedir licença. Megg tem uma competência intelectual imensa e escreveu uma das melhores teses já defendidas no Programa de Pós-Graduação em Educação, sobre um tema fundamental”.

A doutora é professora de desenho e pintura em tela em cursos da Fundação Cultural de Curitiba. E este ano ingressou na UFPR como professora substituta em Didática em cursos de licenciatura. Megg é formada em Desenho pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, tem especializações em História da Arte e História e Cultura Africana, é mestre em Educação pela UFPR, com uma dissertação sobre racismo e ensino da arte no Paraná.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.