Pop e Art

Modelo trans Anjali Lama resiste no mundo da moda indiana e abre caminhos


A mulher trans Anjali Lama, nascida no Nepal, vem mostrando resistência na carreira de modelo. E, agora, colhe os primeiros frutos e começa a abrir caminhos para futuras modelos trans.

Aos 32 anos, ela foi a primeira modelo transgênera a desfilar na Semana de Moda da Lakmé, que ocorreu em fevereiro, e que é destaque na indústria da moda na Índia em cosméticos.

No mesmo mês, Anjali foi capa (sim, capa!) da revista feminina Elle, versão indiana, e falou sobre a peleja de se manter na carreira. Segundo ela, as dificuldades são muito maiores que para qualquer mulher cis na mesma área.

“Fui rejeitada múltiplas vezes somente por ser uma mulher transgênera”, lamentou Anjali. Detalhe: ela não conta sequer com o apoio da família, que é da cidade interiorana Nuwakot, na carreira ou em sua identidade de gênero. Foi preciso resistir. 


Ela revelou que quando era criança foi constantemente intimidada na escola. Em casa, sofria com as represálias do pai e irmãos por não corresponder ao estereótipo do gênero masculino.

"Eu gostava de usar roupas femininas, e na escola eu tinha principalmente amigas. As crianças costumavam a zombar de mim. Diziam: 'ele é uma garota'. Então, em casa, meu pai me repreendia, perguntando: 'o que você vai fazer com sua vida?'", lembra.

Aos 18, foi para a capita de Nepal, Kathmandu, onde a luta pela sua identidade de gênero continuou. "Eu estava lá para a faculdade, mas trabalhei em um hotel e fui demitida por causa do meu comportamento feminino. Eles disseram que deixava os clientes desconfortáveis".


Hoje, ela encara com bons olhos o momento atual de transformação da sociedade. E diz que a moda é um espaço que está se tornando bastante inclusivo para pessoas trans, sobretudo porque contempla a beleza de diferentes formas.

“As pessoas estão mudando e aceitando a nossa presença”, diz a modelo em tom de esperança e positividade. Que sua beleza e talento sejam sempre contemplados e reconhecidos. E que haja sempre muitos trabalhos!

Confira outras fotos: 





About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Anônimo disse...

Eu sou trans e tenho muuuuuita vontade de ter a oportunidade de ingressar no mundo da moda.
Porem minha cidade eh muito conservadora e me falta contatos de outras Cidades Estados Paises...
Mas é um sonho que espero realizar.

Tecnologia do Blogger.