Header Ads

Transserviços

Motorista transexual, Nathaly Oliveira vê na Uber oportunidade de trabalho: "Sou respeitada"


Nathaly Oliveira se tornou notícia em Cuiabá pelo trabalho de motorista da Uber - plataforma de transporte privativo. Ela é apontada pelo site Hiper Notícias, em reportagem de Jessica Bachega, como a primeira motorista da Uber (que é publicamente) mulher transexual no Brasil.

A motorista diz que a Uber oferece oportunidade de trabalho e inclusão para prestadores de serviço. E mais: que tem o nome social respeitado e que até o momento não sofreu transfobia dos passageiros ou da empresa.

“Todo mundo que entra no meu carro me trata no feminino. Me respeita. Graças a Deus nunca tive problema”, afirma.

A motorista declara que, além de se sentir incluída no mercado de trabalho, também se sente em segurança, pois o aplicativo oferece os dados dos passageiros cadastrados – o que acaba inibindo preconceitos. “Caso haja algum registro de transfobia eu não sou obrigada a continuar a corrida. Eu posso denunciar o passageiro e ele será punido de alguma forma perante as regras da Uber”.

Segundo Nathaly, a repercussão de sua história pode incentivar outras travestis, mulheres transexuais e homens trans – que enfrentam dificuldade de se inserir no mercado formal de trabalho, devido ao preconceito – de investir na área de motorista.

“Ser trans nunca me impediu de trabalhar, mas não podia usar meu nome social. Quando fiz meu cadastro na Uber eu pode colocar minha foto feminina e meu nome social. Isso para mim é um grande prazer. Pois fui reconhecida como a primeira Uber trans do Brasil. Além de abrir portas para mim, a Uber abre as portas para várias outras”, declarou.

Se estiver em Cuiabá e precisar de Uber, talvez tenha a sorte de ser transportado pela Nathaly! 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.