Pride

O que você faria se visse uma travesti sofrendo transfobia na rua? “Quebrando o Tabu” mostra experimento


A página no Facebook “Quebrando o Tabu” divulgou nesta semana um vídeo em que fazem um experimento social pelas ruas de São Paulo. Uma atriz travesti (Irina Talbot) é agredida verbalmente por um ator cis (Felippe Canale) na rua e esperam para ver a reação espontânea das pessoas frente à transfobia.

O homem dizia: “Travesti andando de dia na rua?”, “Vaza daí”, “Ela vai roubar a bolsa; vocês viram que ela é travesti? Cuidado, né?, “Ela tava me encarando”, “imagine passar com o seu filho por aqui?”. E aguardaram as reações.

Algumas pessoas simplesmente ignoraram, enquanto outras defenderam a travesti. “Qual é o problema? Criança não tem maldade”, disse uma senhora. “Não vai fazer isso com ela. Todo mundo é gente, que é isso?”, interviu a vendedora. “Ela tá de boa aqui, deixa ela aqui”, afirmou um fotógrafo. “Mexeu com ela, mexeu com todo mundo aqui”, disse uma garota.

Mas teve gente que incentivou a agressão: “Você pega um taco de baseball e ‘tomelegenteruim’. Aqui nós já foi parar até na delegacia”. Uma prova de que, além de muita gente ter passado sem intervir, há aqueles que são transfóbicos e incentivam a transfobia no país. 



Juntamente com o experimento, eles lembraram no vídeo do caso real da travesti Dandara dos Santos, que foi brutalmente agredida e assassinada por pelo menos 12 dias em Fortaleza neste ano. O crime foi praticado durante o dia em plena rua. Ninguém fez nada para ajudá-la. Ao contrário, um homem gravou a cena pelo celular e disse: “Vão matar o viado”.

Em 2016, 144 travestis e mulheres transexuais foram assassinadas no Brasil, afirma a Rede Trans. De acordo com a ong internacional Transgender Europe,o Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo. 

O experimento realizado em São Paulo teve quase 10 milhões de visualizações (até o dia 31/03/2017) e poderia ter outras reações caso fosse feito em outros Estados e cidades. Fica a pergunta proposta: O que você faria se visse uma travesti sendo agredida verbalmente ou fisicamente na rua?

Assista ao vídeo: 


About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.