Header Ads

Livro “Antologia Trans” reúne 30 poetas trans, travestis e não-binários

Mc Linn da Quebrada escreveu a orelha do livro

Por Neto Lucon
Fotos: Bernardo Enoch

Poemas sobre vivência, gênero, identidade, preconceito, transgressões, amores e dores. É por meio do olhar de pessoas trans, travestis e não-binários que estes temas foram escritos e viraram livro. A obra “Antologia Trans” (Ed. Invisíveis Produções) foi lançada em março deste ano durante o TranSarau, em São Paulo.

Capa do livro por Augusto Silva
Ao todo, trinta poetas e poetisas. Quarenta e quatro poemas realizados durante as oficinas de poesia do Cursinho Popular Transformação, que prepara alunas e alunos trans para o ENEM, em São Paulo. Dezessete artistas convidados.

Segundo Danyelle Cavalcante, que é coordenadora do cursinho, poetisa e mulher transexual, a Antologia mostra mais uma forma de resistência da população trans e não-binária numa sociedade cisnormativa.

"É uma honra fazer parte desse trabalho e ver várias manas, monas e manos colocando toda sua experiência diária de discriminação em cada verso dos poemas. E sei que essa obra vai encantar muita gente nesse mundo. E que venham outras antologias trans", declarou ela ao NLUCON

Danyelle é uma das coordenadoras do cursinho e poetisa

O fotógrafo e poeta Benardo Enoch, que é homem trans, diz que o livro é importante porque mostra a população trans além dos estereótipos. "Mostra que trans não é só trans. Que também fazemos coisas normais, como poemas e que temos sentimentos, né? Porque às vezes fica muito frisado na vida da pessoa como trans e parece que é só isso. E nos poemas mostramos vários lados de várias vivências". 

Outros poemas são de Alex Tecruzi, Alexxa Araújo, Amanda Paschoal, Amara Moira, Apollo Franco, Augusto Silva, Bruno Hats, Calla, Carmim, Cecília Silva, Christian Lorenzzo Karavla, Dodi Leal, Enzo Beneducci, Giovani Diaz, Ika Eloah, Kyem Araújo, Lua Lucas, Luan Bressanini, Luq Souto Ferreira, Lúcifer Ekant, Naná DeLuca, Patricia Borges da Silva, Peter Milanez, Rená Zoé, Samantha Andrade, Teodoro Albuquerque, Thais Azevedo, Wictor Ferreira.

Leia um dos poemas:

Voluptuosa dor extraterrestre

Voluptuosa dor extraterreste
do movimento do vai
e vem
sem querer.

Saber o segredo da saliva da tua boca,
explorar múltiplos sabores
e morrer sozinha de fome.
Laricada,
escancarada,
de aura aberta.

Quero me afogar num mar de sensações.
Saudade de Plutão!
Ah, saudade!
De ser planeta.
De ser sideral, extra. 
De ser terrestre, besta.
Estrada no céu da sua boca

Autoria coletiva
TranSarau no Sesc Belenzinho

ARTE TRANS

A ilustração da capa foi feita por Augusto Silva, pessoa não-binária, e também há ilustrações de Lune Carvalho. O prefácio foi escrito por Amara Moira, autora travesti do livro “E Se eu Fosse Puta”, e a orelha pela cantora Mc Linn da Quebrada (que está no topo da reportagem)
Cursinho transformação
 foi responsável pela Antologia

A organização foi dos voluntários e apoiadores Carmen Garcia, Carolina Munis, Élida Lima, João Pedro Innecco e Raísa Martins. Ele foi lançado com o incentivo do programa de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Prefeitura de SP.

Muito mais que um livro de poesias, a obra mostra os talentos e a importância da população trans, travesti e não-binária na literatura, na representatividade, na cultura trans. E também na construção da história.

Quem quiser comprar o livro “Antologia Trans”, valorizar e incentivar o trabalho, envie um e-mail para cursinhopopulartrans@gmail.com. Para acompanhar a página do Cursinho Popular Transformação no Facebook e ficar por dentro de todas as novidades e lançamentos clique aqui.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.