Header Ads

Atriz trans Leona Jhovs faz história na 60ª edição do prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes

Créditos foto: Paulo Brazyl

Leona Jhovs fez história ao tornar-se a primeira atriz trans ou travesti a dar abertura e apresentar o tradicional Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes. Em sua 60ª edição, o prêmio ocorreu nessa segunda-feira (15) no palco do Theatro Municipal de São Paulo.

Crédito Rodrigo Jhovs
A atriz, que faz parte da Cia De Teatro Pessoal do Faroeste, dividiu o palco com o ator argentino Juan Manuel Tellategui, representando a diversidade de São Paulo nas duplas que apresentaram o prêmio.

Foram 12 categorias, que passam pela arquitetura, dança, música erudita, popular, rádio, literatura...


Para Leona, ser uma das apresentadoras e pontuar que é uma mulher trans ou travesti é algo para se comemorar. Até porque ela fez questão de frisar que, enquanto a sociedade coloca mulheres como ela em lugares estigmatizantes, ela estava ocupando aquele espaço e frisando que se tratava de uma pessoa trans.

“O Ivam Cabral (diretor) declarou que sou a primeira trans a pisar no palco do Theatro Municipal com essa veia militante. Acho importante ter essa consciência, porque o público estava vendo uma mulher que se identifica como trans ou travesti no país que mais mata travestis e transexuais no mundo”, declarou ao NLUCON.

A atriz Maria Clara Spinelli e as cantoras trans Assucena Assucena e Raquel Virgínia, do grupo As Bahias e A Cozinha Mineira, também apresentaram outras categorias ao lado de Thiago Mendonça e Emicida. As Bahias também fizeram uma apresentação musical. O prêmio contou ainda com a presença da atriz Leonarda Gluck e da cantora Renata Peron. Ou seja, o talento de artistas trans em peso! 
"Não vamos mais temer e mais amor por favor"

Ao final de sua apresentação, Leona declarou: “Não vamos mais temer e mais amor por favor”. Quem prestou atenção no seu recadinho quase subliminar, aplaudiu fortemente. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.