Header Ads

Homem trans Têu Nascimento é assassinado aos 24 anos em Salvador


Por Neto Lucon

O vendedor trans
Thadeu Nascimento, mais conhecido pelos amigos como Têu, foi encontrado morto na sexta-feira (05) no bairro São Cristovão, em Salvador, Bahia. Aos 24 anos, ele estava com o corpo despido e foi assassinado por espancamento e tiros na cabeça. 

A mãe Rosângela Silva, que havia conversado com ele na quinta-feira (04), recebeu uma ligação dos colegas de trabalho avisando que ele não havia ido na sexta-feira. No dia seguinte, ela foi até a casa do filho no bairro Fazenda Grande II e percebeu sinal de arrombamento, casa revirada e a falta de objetos.

Os familiares só souberam do assassinato no sábado (06) no Instituto Médico Legal (IML). “Eu estou sem chão. Eu perdi metade do meu coração”, lamentou a mãe ao blog do Correio 24h “Me Salte”. “Não tinha noção que tinha sido tão violento. Bateram muito. Quem fez isso queria expor porque deixou o corpo despido. Preciso que a polícia não dê esse caso como encerrado”, continuou.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Até o momento a polícia não deu informações sobre a motivação do crime ou sobre os suspeitos. Ninguém foi preso.

O deputado federal Jean Wyllys se solidarizou com os familiares e amigos e cobrou o governo da Bahia e os representantes estaduais que cuidam da área de segurança para que o caso seja investigado e que assassinatos como este não se repitam. "Temos motivos suficientes para suspeitar que, por tantas características como a existência de tortura e espancamento da vítima, a transfobia é parte constituinte do ato, especialmente recrudescendo a violência


É, afinal, estatístico que entre todas as pessoas LGBT assassinadas no Brasil, que já é um campeão mundial nesse sentido, as pessoas transexuais, travestis e transgêneros são as mais frequentes, principalmente negras, como é o caso de Têu. As pessoas trans e negras acumulam desvantagens estruturais em uma sociedade que é, ao mesmo tempo, marcada pelo machismo, o racismo e a LGBTfobia. ".
Têu trabalhava em uma loja de informativa, era alegre e cheio de sonhos

"Portanto, são as vítimas mais frequentes da evasão escolar, da falta de emprego, do sub-emprego, da violência física, mental e sexual. Como se combinassem exclusões. A mera hipótese de que sua identidade de gênero tenha recrudescido a violência de que ele foi vítima é motivo suficiente para revolta e para exigirmos que a polícia civil da Bahia não descarte esse componente como o fez em outros casos", declarou Jean. 

AMIGOS E MILITANTES LAMENTAM

Nas redes sociais, vários amigos e militantes lamentaram a morte de Têu, que era considerado uma pessoa alegre, cheio de vida e de sonhos. Andrea Magnoni, do coletivo De Transs Pra Frente, escreveu: “Perdemos nosso querido Têu Nascimento para a violência… Nossa solidariedade à família e amigos e acompanharemos as investigações em busca de justiça. Siga em paz, Têu!”.

Nicolas Magalhães, que teve uma postagem recente de Têu, falou sobre transfobia: "Olá assassinos, sim assassinos. A sociedade nos mata todo dia, nos mata com piadas, nos mata contestando nossa sexualidade, nosso gênero, nos mata dentro de casa, nos mata na rua, todo santo dia, até que chega o dia que tiram nosso direito de lutar por nossa vida. Sua LGBTfobia mata, sua palavra de Deus mau interpretada mata, seu fanatismo mata, sua ignorância mata. Eu poucas vezes falei contigo cara, uma vez estava muito mal e você sem me conhecer me encheu de palavras, que me deu forças. Hoje você se foi, vítima do mundo, vítima por ser você mesmo.Doi acreditar que apenas existir possa despertar ódio nas pessoas.

Irmão meu de guerra, hoje você se juntou a muitos outros, que apenas queriam está vivendo realmente. Hoje eu só posso agradecer ter em algum momento da vida, escutado suas palavras. Enquanto o mundo queria minha morte, você me deu forças pra esta vivo. Você se eternizou como guerreiro, e sua morte não vai ser em vão. Desejo que não fique impune e eu desejo que você possa descansar, de toda essa loucura que é esse mundo. Estou triste e com ódio, e isso só faz eu querer resistir e lutar cada vez mais.Vai com Deus irmão".

Ele se defina como "Um espírito em evolução, procurando
sempre fazer caridade e respeitando o próximo"

A militante Eide Paiva lamentou: Esse é Têu Nascimento, homem trans negro, meu irmão de santo, neto da minha mãe de santo. Acabei de saber que ele foi violentamente estuprado, assassinado pela transfobia na noite de ontem. Estou profundamente triste. Conheci Têu há pouco mais de três anos, quando ele voltou a morar em Salvador cheio de vida, e de planos. Ele era de fé, do trabalho e da luta. Chegamos a planejar discutir a transfobia e a lesbofobia em nossa casa, em outros terreiros, mas não tivemos tempo. Meu irmão não teve tempo nem mesmo de ser aceito e respeitado por todas as pessoas que ele amava e respeitava.

Sua juventude foi roubada logo cedo no jogo duro da desigualdade, onde o racismo e sexismo o transformaram em escravo do sistema, mas não lhe tiraram o riso largo, a capacidade de sonhar e lutar pelo seus ideais. Agora recebo essa notícia triste. A transfobia ceifou a vida do meu irmão, e eu choro por ele, por mim, por nós... Que Olorum o receba em paz, que suas dores sejam curadas!! Que meu irmão descanse e que a justiça de Xangô se faça!! Que Orixas me protejam na luta pelo fim da LGBTfobia, pelo bem viver. Têu Nascimento Presente!"


O enterro de Têu está programado para esta segunda-feira (08), às 10h, no Cemitério de Campo Santo, em Salvador.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.