Pop e Art

Modelo trans Athos Souza é garoto-propaganda da marca de regatas Ai Que Tudo


Por Neto Lucon

O modelo Athos Souza, que no último ano ganhou o primeiro concurso de Mister Diversidade Trans Vale dos Sinos, no RS, teve o seu primeiro trabalho como modelo. Ele é garoto-propaganda do novo editorial da marca de camisetas “Ai que Tudo” (AQT).

Nas fotos de Gerson Roldo, Athos percorre a Travessa Venezianos, de Porto Alegre, mostra intimidade com a câmera e vende muito bem as regatas. A beleza e a energia jovem do modelo dialogam com as estampas modernas das camisetas e as cores vibrantes do local.

Athos revela que ficou extremamente feliz (e nervoso) com seu primeiro trabalho profissional. E que adorou o processo de um ensaio fotográfico. “Até então só tinha feito selfie com a galera (risos). Mas o Gerson me deixou super a vontade e a timidez foi passando. No final do ensaio estava apaixonado por toda situação”, afirma.

Gerson diz que o ensaio foi muito tranquilo e que o modelo revelou ser extremamente profissional. “É fotogênico, profissional e um modelo muito fácil de se trabalhar. Quase não precisa de direção, por saber se posicionar na frente da câmera. O que me surpreendeu foi quando ele disse que era o primeiro trabalho dele”.
"Percebi que não pareço mais um menino de 16 anos"

A repercussão tem sido grande, sobretudo nas redes sociais, e mexeu com a auto estima do modelo. “As pessoas ficaram impressionadas com o ótimo resultado. Teve uma que disse: “Athos quando foi que você deixou de ser um menino para se tornar esse ‘homão da porra’ (risos). Percebi que não pareço mais um menino de 16 anos na puberdade. Vocês não podem imaginar o quanto o resultado dessas fotos me fez bem”.

PORTAS ABERTAS

O convite de chamar Athos para ser garoto-propaganda do novo editorial partiu do próprio dono da grife, Jeffe Souza. Ele viu um pedido do modelo para novas fotos nas redes sociais e decidiu abrir as portas. E, detalhe, a questão trans não era uma questão, era apenas um detalhe. 

“Quando vi o Athos, pensei: ‘Que homem lindo’. E não perguntei se era trans, cis... O que importou é que vi uma pessoa linda”, conta. “A marca é para ser vestida por tudo mundo e mostra que nosso universo LGBT conversa e não precisa ser tão segregado”.


O fotógrafo diz que Athos tem talento para outros trabalhos e que defende que as empresas deem oportunidades para modelos trans. “Com certeza as pessoas trans têm todo potencial que qualquer outro modelo cis teria para exercer qualquer tipo de trabalho. Está na hora de as empresas olharem para o público LGBT como profissionais que são”, disse.

Para o modelo, oportunidades dadas a homens trans deveriam ser comuns na sociedade, mas que ainda é algo exclusivo. No ensaio AQT, ele afirma que não sentiu o rótulo trans o dividir de qualquer outro modelo cis. “Fui tratado como o homem que sou, não como trans ou cis. Isso, sim, se chama inclusão e esse exemplo deveria ser seguido não só por marcas, mas por todas as empresas”.



PRÓXIMOS PASSOS

Athos revela que pretende seguir na carreira de modelo e estrelar outros editoriais. Ele diz se inspirar no modelo trans Laith Ashley e também nos modelos cis Nick Bateman, Valentin Benet e Antonio Pozo.

Mas é evidente que ele tem o seu próprio brilho e diferencial – como você pode ver nas fotos – e a sua própria trajetória (clique aqui e saiba mais sobre Athos). Tanto que agora ele se prepara para o Mister Diversidade Rio Grande do Sul 2017. Que tudo!

Quem quiser contratar Athos para novos trabalhos, envie o e-mail: athosnsouza@hotmail.com. Para conhecer mais da marca Ai Que Tudo acesse a página oficial no Facebook clicando aqui. Já quem quiser ver mais fotos do ensaio é só rolar para baixo. ;)

Obs: O editorial contou com a colaboração da marca Vi Bacchi, que disponibilizou o colete e a jaqueta. 


Veja outras fotos:










About Neto Lucon

Jornalista. É formado pela Puc-Campinas e pós-graduado em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário. Escreveu para os sites CARAS Online, Virgula e Estadão (E+), Yahoo!, Mix Brasil, no jornal O Regional e para a revista Junior. É autor do livro-reportagem "Por um lugar ao Sol", sobre pessoas trans no mercado de trabalho. Tem quatro prêmios de jornalismo, sendo dois voltados para as questões trans, Claudia Wonder e Thelma Lipp

1 comentários:

Enilson Ferreira Bastos disse...

Ele é realmente lindo. O que mata é o bigodinho de cobrador de ônibus...

Tecnologia do Blogger.