Header Ads

Transserviços

Motorista que expulsou cabeleireira transexual do carro por transfobia é removido do Uber


O motorista que expulsou a mulher transexual Nicole Kelly Cruz do seu veículo por transfobia teve a parceria com o Uber cancelada no Rio de Janeiro. A assessoria de imprensa alegou que a política da empresa é de tolerância zero a qualquer forma de discriminação em viagens realizadas por meio da plataforma.

No caso, que ocorreu há dois domingos, a cabeleireira solicitou o serviço do aplicativo para ir do Arsenal para casa, em Copacabana, no Rio. Ela havia acabado de comemorar os 28 anos com familiares. Porém, assim que entrou no veículo e o motorista percebeu que ela seria uma mulher transexual, ele parou o carro e mandou que Nicole descesse.

Nicole disse que não sairia, uma vez que não havia feito nada de errado. Então, o motorista afirmou que era policial e ameaçou tirar uma arma debaixo do banco. Nicole ligou para o irmão e para o cunhado, que foram até onde ela estava e chamaram a polícia.

Os policiais do 7º BPM (São Gonçalo) chegaram, revistaram o veículo e, ao não encontrarem nada, o liberaram. O motorista não era policial como informou. Os policiais também aconselharam Nicole a registrar o caso na delegacia, uma vez que o Código de Defesa do Consumidor proíbe que prestadores de serviço recusem atendimento a quem quer que seja. E que há a lei Estadual contra discriminação a pessoas LGBT.

Em matéria de capa ao jornal São Gonçalo, ela afirmou: “Eu me senti humilhada, ofendida, porque eu sou uma pessoa normal como qualquer outra. Eu trabalho, tenho meu dinheiro, corro atrás dos meus sonhos como qualquer outra pessoa. Vou registrar o caso e acionar a Uber na Justiça”, afirmou. A empresa, além de ter retirado o acesso do motorista à plataforma, entrou em contato com a usuária para oferecer apoio.

Lamentamos muito o episódio de transfobia que a Nicole enfrentou. E que fique a mensagem de que transfóbicos não passarão.

Um comentário

Lu Gomes disse...

Tome trouxa. :D

Tecnologia do Blogger.