Header Ads

Gretchen afirma que missão dela e de Thammy é ensinar mães a acolherem seus filhos trans


Por NLUCON

A cantora Gretchen e o filho Thammy Miranda participaram desta semana do programa “Vai, Fernandinha”, exibido pelo Multishow. E, além de brincarem em vários games com a apresentadora Fernanda Souza, falaram sobre a importância do acolhimento de pessoas trans dentro da família.

Gretchen declarou que sente muito orgulho da coragem de Thammy, sobretudo por dizer ao mundo quem é. Ela acredita que toda a trajetória de ambos veio como uma grande missão: fazer com que pais e mães acolham seus filhos, independentemente de serem LGBT ou cis hétero.

“Alguma coisa aconteceu nesse universo para que nós duas (sic) fôssemos isso. Eu, mãe de um trans, ela (sic), uma filha (sic) de um símbolo sexual. Porque não tem explicação para isso que nós somos e ter acontecido isso. Alguma coisa nós viemos ensinar para alguém. Alguma missão nós duas (sic) temos nesse mundo”, disse.

A cantora afirmou que em seu canal no Youtube acaba tendo um contato direto com os pais, que sempre aparecem com dúvidas. “Falo muito para que as mães lembrem daquele momento em que ela estava grávida, que aquele bebezinho chutava e que desejou a cada minuto ver a carinha’. Na hora em que ele nasceu, você ficou encantada, deu de mamar, ensinou a andar... Então você não pode esquecer disso na hora em que ele chega e diz: ‘eu não sei se sou menino ou menina’. Porque se você pensar nisso, você vai saber amar cada minuto do que eles viverem”. 


Por sua vez, Thammy frisou que é extremamente importante o apoio familiar na vida de uma pessoa trans, disse que isso não acontece em muitos lares e destacou o alto índice de suicídio de pessoas trans em todo o mundo.

“Você tem um mundo inteiro lá fora para enfrentar. Então, o mínimo que você quer é ter um aconchego na sua casa. Para falar: ‘putz, eu tenho uma pessoa do meu lado, uma pessoa que eu posso contar e chorar’. Para falar: ‘Mãe, eu não estou aguentando, tá todo mundo fechando as portas, eu não tenho o que fazer, quero sumir do planeta’. E você precisa ter uma pessoa. E se ainda você não tem os seus pais do lado, é mais complicado. O índice de suicídio é gigantesco”.

Ao falar sobre as novas gerações de homens trans, o ator declarou que tem muito medo de ser encarado como uma referência, mas que gostaria de ser uma pessoa que lembre garra, coragem e que luta para ser feliz. “A mensagem é lutar para ser quem você é”, concluiu ele.

Vale lembrar quem nem sempre Gretchen apoiou Thammy. Há 15 anos, quando ele falou inicialmente que gostava de mulheres, a cantora chegou a levá-lo em uma igreja evangélica para "curá-lo". Foi o tempo, o diálogo e a convivência que fez com que a rainha do bumbum visse que o fato de Thammy não ser uma mulher, mas um homem, e se relacionar com mulheres fazia parte de uma característica intrínseca. 


Que bom que cada vez mais a TV se abre ao debate sincero e sensível sobre pessoas trans... Nesta semana, além de Thammy e Gretchen, o ex-jogador Toninho Cerezo e a filha Lea T participaram do “Conversa com o Bial”, da TV Globo, e deram um verdadeiro show contra a transfobia nos lares brasileiros.

Confira o que rolou no programa "Conversa com Bial" clicando aqui. Assista a algumas cenas do Vai, Fernandinha clicando aqui.


Obs: Embora Gretchen seja uma pessoa ma-ra, que a gente ama e que seu discurso contribui para o acolhimento, ela  ainda derrapa no tratamento à identidade de gênero de Thammy, chamando-o de "filha" e dizendo que "ela é a mulher mais corajosa do mundo". Já que a artista encara essa exposição como uma missão, seria importante que ela se esforçasse em tratar o corajosO filhO como com pronomes e artigos masculinos. Afinal, é assim que ele se identifica e a "falta de costume" não deve servir de justificativa para o desrespeito. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.