Header Ads

Homem trans denuncia violência transfóbica dentro de ônibus em Fortaleza


Por Neto Lucon

Lucas Gabriel Mello é mais uma vítima da violência transfóbica no Brasil. Ele, que é homem trans de 23 anos, denuncia que na quarta-feira (05) sofreu uma uma agressão por dois homens cis dentro de um ônibus, em Fortaleza, Ceará.

No relato, Lucas conta que após entrar no ônibus e procurar a sua passagen, dois homens que estavam em sua frente começaram a dizer que “mulher que quer ser homem deveria morrer”.

Assustado, ele tentou se desvencilhar daqueles rapazes, mas quando tentou se afastar um puxou sua mochila e o outro apertou o seu braço. “Eles continuaram a falar coisas horríveis e me deram um tapa e desceram do ônibus”, continuou.

O jovem afirma que não conhecia os agressores e que a única motivação para a violência foi a transfobia – preconceito contra a identidade de gênero de travestis, mulheres transexuais, homens trans, n-bs e outras transgeneridades. Ele diz ainda que ninguém interviu no momento. 



Após o episódio, Lucas se dirigiu ao Centro de Referência Janaína Dutra e, logo em seguida, à delegacia fazer um Boletim de Ocorrência. Ele alega que teve o nome social respeitado e que lamenta não existir uma lei que criminalize a LGBTfobia. Nesta quinta-feira (06) irá ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer o exame corporal da agressão.

Ao NLUCON, Lucas afirma que é a segunda vez em que é agredido por preconceito, mas que é a primeira vez que decidiu não se calar. “Acredito que quando ficamos calados acabamos coparticipando com o ato. Precisamos mostrar que a violência é algo intolerável, que jamais vamos abaixar a cabeça”.

Até o momento nenhum dos agressores foram identificados ou presos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.