Header Ads

Transserviços

Conferência debate prostituição, criminalização e controle da mulher em SP, Campinas, BH e RJ

Indianara Siqueira, Amara Moira e Monique Prada estarão na Conferência

POR NLUCON

O coletivo Davida e o Observatório da Prostitução – UFRJ – promovem no início de agosto o ciclo de debates “Um século e meio de abolicionismo: prostituição, criminalização e o controle da mulher”. Depois de ter passado por Florianópolis no dia 3, ela ocorre em São Paulo nesta segunda-feira (07), Campinas (08), Belo Horizonte, (09) e Rio de Janeiro (11).

As cinco mesas contam com a ativista brasileira e profissional do sexo Monique Prada, a historiadora norte-americana Melinda (Mindy Chateauvert) e da australiana Pye Jakobsson, presidenta da organização internacional para profissionais do sexo. Além da participação de lideranças locais do movimento brasileiro de profissionais do sexo, que completa 30 anos.

Dentre a população trans, estará no debate de Campinas a travesti Amara Moira, profissional do sexo , doutora da Unicamp e autora do livro “E Se eu Fosse Puta?”. E no Rio de Janeiro a militante transvestigenere Indianara Siqueira, profissional do sexo, vereadora suplente do PSOL e autora do projeto de resistência Casa Nem.

Vale ressaltar que tramita no Congresso Nacional projetos de lei que querem criminalizar a contratação e oferta de serviços sexuais. Baseado no “modelo sueco”, que é apontado em relatório da Anistia Internacional como desfavorável à proteção dos direitos das profissionais. A mediação das mesas é dos antropólogos Ana Paula da Silva e Thaddeus Gregory Blanchette.

"Os debates são fundamentais para pesquisadores, ativistas e aqueles que acreditam que essas pessoas merecem ser sujeitos de direitos", explica Ana. “Os seminários são importantes para refletirmos sobre as consequências de se criminalizar a prostituição. Isso só tem o efeito de empurrar o comércio para a clandestinidade, tornando-o precário e perigoso para as mulheres" completa Thaddeus.

No Rio de Janeiro, a conferência finaliza no sábado (12) com uma festa na Casa Nem. Haverá desfile da coleção Daspu e peças confeccionadas no Projeto Costura Nem, em homenagem a Lourdes Barreto, Genilza Marinho e Maria Nilce dos Santos – três das ativistas importantes. Além do lançamento do Museu da Diversidade (A)sexual no Rio de Janeiro.

SERVIÇO
“Um século e meio de abolicionismo: prostituição, criminalização e o controle da mulher”
São Paulo - SP
Data: 7 de agosto, 10h
Local: Sala 24, Prédio do Meio da FFLCH, USP
Mesa com mediação de Letizia Patriarca (mestre e doutoranda em Antropologia Social da USP, integrante do NUMAS, Núcleo de Estudos de Marcadores Sociais da Diferença e da CPAA, Comissão Permanente de Ações Afirmativas) e participação de Ana Paula da Silva, Thaddeus Blanchette e Monique Prada

Data, 7 de agosto, 17h
Local: Cia Pessoal do Faroeste, Rua do Triunfo, 305 - Centro
Debate com Monique Prada, trabalhadora sexual, ativista e escritora, ex-presidenta da CUTS - Central Única de trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais.

Campinas - SP
Data: 8 de agosto, 14h
Local: Auditório II, IFCH/UNICAMP
Debate com Betânia Santos (trabalhadora sexual e ativista, Co-presidenta do Coletivo Davida e Coordenadora da Associação Mulheres Guerreiras da Zona Itatinga) e Amara Moira (travesti e trabalhadora sexual, doutoranda em teoria literária pela Unicamp e autora do livro “E seu eu fosse Puta”)

Belo Horizonte - MG
Data: 9 de agosto, 14h
Local: Local: APROSMIG - Rua Guaicurus, 648, centro, Belo Horizonte
Debate com Cida Vieira (presidenta da Associação das Prostitutas de Minas Gerais - APROSMIG)

Rio de Janeiro - RJ
Data: 11 de agosto, 15h
Local: Salão Nobre IFCS/UFRJ - Largo de São Francisco
Debate com Lourdes Barreto (profissional do sexo aos 74 anos, fundou a Rede Brasileira de Mulheres Prostitutas e o Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará GEMPAC) e Indianara Siqueira (profissional do sexo, trans e vereadora suplente do PSOL no RJ, presidente da TransRevolução, idealizadora da Casa Nem/RJ)

Data: 12 de agosto, 21hs
Local: Casa Nem - Rua Morais e Vale, 18 – Lapa
Puta Festa: comemoração dos 30 Anos do Movimento de Prostitutas com homenagem a Lourdes Barreto, Gerenilza Marinho, Maria Nilce dos Santos, desfile DASPU e Atelier Casa NEM e lançamento do Museu da Diversidade (A)Sexual
Entrada: 10 reais, com sugestão de doação de 1 kilo de alimento não perecível
Pessoas transvestigeneres e prostitutas não pagam
Censura: 18 anos
Todos os eventos têm entrada gratuita
Mais informações em: https://www.facebook.com/events/1910609615846901

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.