Header Ads

Que gato! Militante trans Bruno Popko participa do Mister Diversidade RS


Por Neto Lucon

O analista de faturamento e militante trans Bruno Henrique Popko, de 34 anos, vai participar do Mister Diversidade RS, que ocorre no dia 16 de setembro, na cidade Cruz Alta. Ele representa a cidade de Canoas, onde mora. 

Em conversa com o NLUCON, Bruno afirma que decidiu participar para promover a visibilidade aos homens trans - pessoas que foram designadas mulheres ao nascer, mas que se identificam com o gênero masculino e que são homens.

"Assumir-se trans hoje em dia, apesar de poder acarretar muitas violências, é um ato político. Porque sem esse empoderamento de se assumir trans não existe visibilidade. E quanto mais espaços ocuparmos, maiores serão as nossas oportunidades de inclusão na sociedade", afirmou.

Dentre os preparativos para o concurso, ele afirma que tem estudado sobre diversos temas, além da técnica de desfile e oratória. "Um concurso como este requer uma mega preparação, já que não se trata apenas de beleza. O vencedor precisa estar extremamente preparado para representar o Estado, de fortalecer nosso segmento e a luta por nossos direitos".

Dentre os direitos que ele considera importantíssimo a população trans conquistar é o respeito ao nome social e a mudança rápida da retificação de nome e sexo da documentação.

Vale dizer que anteriormente Bruno foi eleito o 1º Mister Trans do Encontro Regional Sul de Travestis e Transexuais de 2017 e abriu a categoria de Mister Trans da Cidade de Passo Fundo/RS. Este é o primeiro concurso em que ele compete ao lado de homens cis e o homem trans Athos Souza em pé de igualdade.




ENTENDER-SE HOMEM TRANS MELHOROU AUTOESTIMA

Apesar dele ser bastante elogiado pela beleza nas redes sociais, Bruno afirma que antes da transição se considerava "a pessoa mais feia do mundo". E que não tinha qualquer tipo de vaidade, já que não aceitava as formas do seu corpo. Ele conta que sempre soube que era trans, mas que não sabia que existia um termo, tampouco que existiam outras pessoas como ele.

"No início eu achava que o que tinha de diferente era minha orientação sexual, pois eu era lido como uam menina que gostava de meninas. Mas com o tempo eu fui percebendo que não era só isso, que ainda faltava algo para me sentir completo. Até que um belo dia assisti na TV uma entrevista do João Nery", revela.

Após tomar consciência do que é, Bruno afirma que o grande desafio foi iniciar a transição e lidar com as transfobias, sobretudo no momento de ir ao banheiro masculino. "Depois de um tempo, quando eu já estava com a aparência bem masculina, o constrangimento era na hora de ser chamado pelo nome de registro em locais públicos, pois na época não existia aqui a carteira de nome social".

Por conta dessas situações, Bruno passou um tempo tentando se esconder e deixava até de ir ao médico. "Confesso que demorei um pouco para entender que eu não precisava ter vergonha de mim por ser trans. Mas depois que entendi isso, meu posicionamento mudou em todos os sentidos. Hoje em dia faço questão de que as pessoas saibam que sou trans. E também faço questão de usufruir de tudo o que tenho direito".


 

Hoje, ao contrário da falta de autoestima anterior, ele afirma que se olha no espelho e vê exatamente o que gostaria. "Vejo que a imagem reflete a maneira como me senti por dentro e isso não tem preço. A partir do momento em que me descobri trans e iniciei minha transição, me tornei a pessoa mais vaidosa do mundo. E a cada dia que passa me sinto mais feliz com a minha aparência". 

A gente concorda!

CURIOSIDADES DO MISTER

- Ele diz que é muito fã de Arnold Schwarzenegger. "Porque sou viciado em musculação, e sempre achei que o corpo dele no aspecto, fisiculturismo, foi um dos mais perfeitos que já existiram".

- Ele tem como ator preferido Leonardo Di Caprio. "Eu o admiro muito e sempre gostei de todos os filmes em que ele atuou".

Com a esposa Aline Popko
- Ele é muito bom em matemática. 

- Bruno diz que se irrita quando dizem o que ele tem que fazer. E que a última vez em que se emocionou foi quando a mãe o chamou de "meu filho, no masculino". 

- A comida preferida é churrasco. E a que ele menos gosta é agrião.

- Bruno faz parte do Conselho Municipal LGBT de Canoas e é fundador do grupo de Homens Trans chamado Os Super Homens. 


- Ele é casado com Aline Popko há três anos e sete meses. Eles já estiveram no cartaz da oitava Parada Livre de Canoas, com a frase: "O que o preconceito afasta, o amor une".

- Ele também participou da campanha "Respeite nosso nome social", referente ao decreto municipal número 37/2015, que garante às pessoas travestis e transexuais o direito ao uso do nome social, da Prefeitura de Canoas. 


- Ele tem uma página no Facebook para divulgar informações sobre a carreira e a população de homens trans. Clique aqui.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.