Header Ads

Juiz nega censura ao espetáculo que retrata Jesus travesti em Porto Alegre


POR NLUCON

A peça “O Evangelho Segundo Jesus: Rainha do Céu”, que foi censurada na última semana em Jundiaí, São Paulo, voltou a ter um pedido de censura na encenação que ocorrerá no festival Porto Alegre em Cena. Porém, o juiz negou o pedido.

O juiz José Antônio Coitinho, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre, rejeitou o cancelamento da peça, que ocorre na quinta-feira (21), reafirmando o direito à liberdade de expressão.

“E, sem citar um único artigo de lei, vamos garantir a liberdade de expressão dos homens, das mulheres, da dramaturgia transgênero e da travesti atriz, pelo mais simples e verdadeiro motivo: porque somos todos iguais (...)”, escreveu ele na sentença.

Neste caso, foi o advogado Pedro Lagomarcino que tentou impedir a encenação, argumentando que ele viola dois dispositivos do Código Penal: artigos 208 (ultraje a culto) e 287 (apologia ao fato criminoso), além do artigo 20 da lei 7.716.1989, que diz que a peça promove preconceito religioso. “Uma peça que tem como pauta ‘subverter questões religiosas’, francamente, isso não é arte, isso é sim um dejeto cultural”.

O juiz rejeitou os argumentos e escreveu: “Se a ideia é de bom ou mau gosto, para mim ou para outra pessoa, pouco importa. Ao juiz é vedado proibir que cada ser humano expresse sua fé - ou a falta desta - da maneira que melhor lhe aprouver. Não lhe compete essa censura".

Ele ainda disse que o fato de a atriz ser travesti é irrelevante. "Transexual, heterossexual, homossexual, bissexual, constituem seres humanos idênticos na essência, não sendo minimamente sustentável a tese de que uma ou outra opção possa diminuir ou enobrecer quem quer que seja representado no teatro".

Vale destacar que a peça escrita pela dramaturga trans Jo Clifford, dirigida pela mulher cis Natalia Mallo e encenada pela atriz travesti Renata Carvalho reconta de maneira sensível passagens bíblicas com uma ótica contemporânea com a intenção de promover reflexão sobre os preconceitos que assolam a população trans e outras populações discriminadas. Fala sobretudo sobre o amor, o respeito e o acolhimento.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.