Header Ads

Livraria Cultura abre espaço para debate sobre mercado de trabalho para pessoas trans e travestis


Milena Fahel
Assessora de comunicação do De Transs Pra Frente

Espaços como a universidade, o mercado de trabalho e a saúde têm invisibilizado pessoas trans e travestis através da história; mas por meio de muita luta e tencionamento cis-têmico, elas têm contrariado este apagamento e exclusão.

 O coletivo De Transs Pra Frente fortalece esse movimento a cada dia, e no mês de setembro contará com duas edições: dia 6 de setembro, estará pela primeira vez no teatro Eva Herz, a convite da Livraria Cultura (Salvador Shopping), a partir das 18h30, em sua 14ª edição, com o tema: Tensionando o cis-tema e a ocupação dos espaços negados: trabalho, transgeneridade e exclusão social.

E no dia 13 de setembro, o evento retorna a sua casa, no Teatro Gregório de Mattos, a partir das 18h, com sua 15ª edição — Re-existências transgressoras: (des)caminhos possíveis para re-existir.

Os encontros serão uma oportunidade para dialogar acerca da construção das identidades de gênero hegemônicas e seus impactos nas formações das identidades trans, em particular quando envolve negação e marginalização destas últimas, e como vem sendo a ocupação dos espaços negados historicamente à população trans e travesti, conquistas e limitações no acesso a direitos.

No teatro Eva Herz, o evento será aberto pela performer Raíssa Éris Grimm, doutora e ativista transfeminista de Santa Catarina, e segue com o curta De Transs Pra Frente, com direção de Ted Ferreira, que conta um pouco da história da formação do coletivo, suas principais bandeiras de luta e suas ações no ativismo trans e travesti em Salvador. Depois segue com o debate, com a participação das (os) ativistas: Diego Nascimento, Fran Demétrio, Vérciah e Viviane Vergueiro e encerra com o grupo político-percussivo Transbatukada.

No Teatro Gregório de Mattos, a abertura fica sob responsabilidade dos poetas Benjamin Patury e Enzo Amorim, e continua com a mesa composta por Indianara Siqueira, coordenadora da Casa Nem, no Rio de Janeiro; Nicolas Carvalho, transativista, estudante e integrante do Transbatukada; Thiago Soliva, doutor em antropologia cultural e professor do Centro de Ciências da Saúde/UFRB; e mediação da antropóloga, feminista e pesquisadora em gênero Anne Alencar.

O De Transs Pra Frente é um evento mensal, que acontece desde maio de 2016 no Teatro Gregório de Mattos e nasceu para suprir a necessidade de se falar das estratégias e urgências do movimento trans e travesti em primeira pessoa, quando pautas como a violência sistêmica, construções sociais de gênero, dificuldade de acesso à saúde, educação, trabalho e moradia têm sido discutidas e evidenciadas na voz e produção de um coletivo composto majoritariamente por pessoas trans e travestis.

Programação:
Teatro Eva Herz, na livraria Cultura do Salvador Shopping
14ª edição do De Transs Pra Frente — Tensionando o cis-tema e a ocupação dos espaços negados: trabalho, transgeneridade e exclusão social, dia 06/09, às 18h30.
Sistema Pague Quanto Puder.
Classificação: 12 anos.

Teatro Gregório de Mattos, ao lado do Cinema Glauber Rocha (Praça Castro Alves)
15ª edição do De Transs Pra Frente — Re-existências transgressoras: (des)caminhos possíveis para re-existir, dia 13/09, às 18h.
Sistema Pague Quanto Puder.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.