Header Ads

Cantor russo Zelimkhan Bakaev foi preso e torturado até a morte por ser gay, dizem ativistas


Por NLUCON

O cantor russo Zelimkhan Bakaev, que está desaparecido desde agosto, teve um fim trágico na Chechênia. Pelo menos é o que diversos ativistas e a mídia internacional está divulgando nas últimas semanas.

Segundo fontes que estiveram com o artista, o jovem de 26 anos foi uma das vítimas das autoridades da Chechênia, que o capturaram, o prenderam, o torturaram e o mataram. O motivo é que ele seria suspeito de ser gay, ainda que não tivesse revelado publicamente.

Igor Kochetkov, fundador russo da Rede LGBT, fez diversas acusações ao governo da Chechênia, alegando ter até campos de concentração. Ele declarou que o artista foi preso após três horas de ter chegado em Grozny e torturado até a morte dentro de 10 horas.

As autoridades negaram saber o paradeiro do artista e sugeriu que ele havia simplesmente deixado o país. Um porta-voz declarou que "mesmo que existissem gays na Chechênia, a polícia não teria problema com isso, pois as próprias famílias se comprometeriam a enviá-los a um lugar de onde não seria possível retornar".

Além disso, um vídeo foi publicado nas redes sociais sugerindo que ele estivesse na Alemanha. Porém, várias pessoas perceberam que os produtos que estavam na mesa eram russos, que a fiação do espaço era russo e questionaram se era mesmo o cantor que apareceria no vídeo. O caso continua sendo um mistério. 

Assista ao clipe do cantor: 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.