Header Ads

Dada como desaparecida, Verônica Bolina está presa novamente em São Paulo


Por NLUCON

Após uma postagem nas redes sociais anunciar que Verônica Bolina, de 28 anos, estava desaparecida, a advogada Carolina Gerassi compartilhou uma publicação que informa que ela está detida desde domingo (1º) no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros.

“Não sabemos todas as circunstâncias de sua prisão, mas as advogadas estão cuidando dos detalhes, que se encontram em sigilo de justiça”, diz a postagem divulgada no Facebook.

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária confirmou que Verônica está no CDP de Pinheiros III. E informou ao R7 que o motivo é um flagrante por homicídio qualificado.

Na ocasião, ela se envolveu em uma briga com uma mulher em situação de rua, que teria sido agredida com golpes de objeto cortante. A mulher, que segundo outras pessoas em situação de rua também teria comportamento agressivo, foi levada ao hospital e Verônica encaminhada ao CDP. 

Em depoimento, Verônica afirma não se lembrar. A advogada não se manifestou à imprensa até o momento.

SURTO NO SÁBADO

Antes de ser detida, Verônica teve um "surto" no sábado (30) e se envolveu em uma briga na casa de um homem que estaria lhe devendo dinheiro, na rua Augusta. Ela foi indiciada por lesão corporal e foi levada à uma unidade psiquiátrica da Santa Casa, na Vila Mariana.

Após ser medicada e liberada, nenhum familiar ou amigo soube seu paradeiro e ela foi dada como desaparecida. Um boletim de ocorrência foi registrado no 78º DP (Jardins).

"O Hospital a liberou sem contatar qualquer pessoa da família, amigos, nem mesmo a delegacia que a encaminhou. Desde então Verônica está desaparecida. Não voltou para casa e não foi mais vista. Estamos fazendo buscas na região central de São Paulo e imediações do hospital, sem sucesso", dizia a mensagem.



Detida no CDP de Pinheiros, Verônica teve o flagrante convertido em prisão preventiva. A juíza Carla Santos Balestreri informou que, após ouvir o Ministério Público e a Defensoria Pública, a autuada estava se comportando de maneira agressiva.

Ela informa que Verônica estava “a colocar em risco não apenas a integridade física dos policiais e a do próprio (sic) autuado como das demais pessoas que transitam nas dependências deste fórum”
.

CINCO MESES EM LIBERDADE

Verônica conseguiu alvará de soltura em 3 de maio deste ano, dois anos após ser presa por agredir uma idosa do prédio em que morava. Desde então, Verônica vem dizendo em entrevistas que só quer reconstruir a sua vida.

O caso tomou repercussão nacional depois que fotos de Verônica desfigurada e seminua dentro do presídio caíram nas redes sociais, fazendo com que a Corregedoria da Polícia Civil e o Ministério Público investigasse os policiais do 2º DP (Bom Retiro) por tortura.

O Ministério Público pediu um laudo de sanidade mental, fazendo com que ela recebesse o alvará de soltura do CDP de Pinheiros. Ela teria que ter tratamento ambulatorial por pelo menos três anos.

Em breve novas informações sobre Verônica.  

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.