Header Ads

Roberta Close diz que apoio da mãe ajudou a superar dificuldades e vencer


Por NLUCON

Em sua visita ao Brasil, Roberta Close foi entrevistada pelo Vídeo Show, da TV Globo, e falou sobre sua vida e carreira. Aos 52 anos, a modelo declarou que conseguiu superar todas as adversidades e transfobias graças ao apoio da mãe, Maria Gambine.

“(Ser transexual) é um drama pessoal, é uma coisa que a pessoa sofre e que as pessoas em volta não têm capacidade de entender”, declarou ela.

“A minha mãe foi maravilhosa. Tive um apoio muito grande. Ela sempre esteve ao meu lado e isso me ajudou muito a superar e a vencer”, declarou. Infelizmente, Maria Gambine morreu em 2009 vítima de câncer no Rio de Janeiro.

Na entrevista, Roberta contou ainda que surgiu na grande mídia em 1984 com “uma nova proposta, trazendo um assunto polêmico”: a transexualidade. Ela diz que muitas pessoas diziam que colocavam lupa em suas fotos para ver se achavam alguma coisa.

Desde então, estrelou concurso de miss, música de Erasmo Carlos, novela e até um filme francês: Si tu vas à Rio... Tu Meurs. Com 20 anos, foi para a Inglaterra fazer a cirurgia de redesignação sexual. “Tive que ter muita força de vontade, fiquei 15 dias sem comer em cima de uma cama”, lembra.



Ao comentar como foi se alistar no exército, ela diz que tudo ocorreu sem o menor constrangimento. “Eu já era bem feminina e quando fui me apresentar eles viram qual era a situação. A opinião deles foi: ‘Esta é uma mulher, é uma menina, não vamos colocar ela aqui. Você pode ir embora”.

Hoje, ela afirma que está pronta para ajudar as pessoas que são trans e procuram palavras amigas e informações. “Contem comigo para deixar a vida de vocês um pouco melhor”, garantiu ela, que combina com o NLUCON uma entrevista exclusiva para vocês. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.