Header Ads

16ª "De Transs Pra Frente" aborda resistências trans e travestis negras, na BA

Crédito: Adeloyá Magnoni

Por Milena Fahel / NLUCON

A 16ª edição do “De Transs Pra Frente” aborda no dia 22 de novembro, a partir das 18h, as re-existências trans e travestis negra, no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, na Bahia. O evento é destaque do Novembro Negro e funciona no sistema “pague quanto puder”.


Leonardo Peçanha participará do debate
O debate da noite terá perspectiva descolonial” no fortalecimento das redes ativistas e solidárias e na ocupação de novos espaços por pessoas trans negras, além de manifestações artísticas e venda de produtos.

Na mesa, o debate será mediado pelo ativista trans negro e educador Bruno Santana e composto por Leonardo Peçanha, mestre em Ciências da Atividade Física (PGCAF/UNIVERSO) e especialista em Gênero e Sexualidade (IMS/UERJ); e Thiffany Odara, mulher trans negra, pedagoga e Iyalorixá.

A conversa abordará vivências de ancestralidades afro-brasileiras, de pessoas trans e travestis na universidade e no ativismo, em uma reflexão sobre a potência dos corpos trans negros e vivos nesses espaços, e sobre como ocupá-los é parte das lutas para que mais identidades de gênero, cada vez mais plurais e menos binárias, acessem com dignidade e respeito.

Haverá ainda um pocket show da cantora e compositora Aline Lobo; exposição e venda de obras da artista aquarelista Annie Ganzala; venda das camisas de Kawe Nazangi, da K’Nazangi Estamparia Afro; e encerramento com a dupla musical Théo e Yuna. Programe-se e participe!



Annie Gonzala / foto: Juh Almeida

Vale dizer que no Brasil 71 de cada 100 pessoas assassinadas são negras, conforme o Atlas da Violência 2017. A pesquisa recente aponta que a morte direcionada à população negra não se restringe às causas socioeconômicas, incluindo fatores como gênero, identidade de gênero e idade. Nesse contexto, a pergunta que surge é: como resistir às mortes e disputar narrativas que simplificam vidas de pessoas trans e travestis negras?

O De Transs Pra Frente é um evento mensal, que acontece desde maio de 2016 e nasceu para suprir a necessidade de se falar das estratégias e urgências do movimento trans e travesti em primeira pessoa, quando pautas como a violência sistêmica, construções sociais de gênero, dificuldade de acesso aos direitos têm sido discutidas e evidenciadas na voz e produção de um coletivo composto majoritariamente por pessoas trans e travestis.

SERVIÇO
O quê: 16ª edição do De Transs Pra Frente — “Re-existências trans negras numa perspectiva decolonial”.
Quando: Dia 22/11, às 18h.
Onde: Espaço Cultural da Barroquinha (Praça Castro Alves, ao lado do Cine Glauber Rocha).
Quanto: Sistema Pague Quanto Puder.


Bruno Santana mediará o debate

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.