Header Ads

Alunos fazem cartazes em apoio aos direitos das pessoas trans em escola de SP; veja


Por NLUCON
Diversos alunos da Escola Estadual Professor Geraldo Justiniano de Rezende Silva, que fica em Suzano, São Paulo, decidiram se organizar para um trabalho em favor dos direitos das pessoas trans. No caso, eles falaram sobre o respeito ao uso ao banheiro de acordo com a identidade de gênero.

O banheiro é um dos entraves que várias alunas e alunos trans acabam sofrendo na vila escolar, sendo proibidas e proibidos de frequentar aquele que se sente mais confortável de acordo com o gênero em que se reconhece.

Para isso, os estudantes escreveram e colaram cartazes informativos nas portas dos banheiros. No feminino garantido, por exemplo, que o banheiro da Mulher é de todas as mulheres, sejam elas trans, cis, hétero, lésbica, bi, assexual, negra, branca, gorda, magra, baixa, pobre, rica, refugiada, indígena...

Também colocaram no banheiro dos homens, destacando que ele é de todos os homens, sejam eles trans, cis, hétero, gay, bi, assexual, negro, branco, gordo, magro, alto, baixo, pobre, rico refugiado e indígena.



Os alunos mostraram que além da empatia com a população trans, eles também estavam cientes da Lei Estadual nº 10.948, que pune qualquer discriminação contra orientação sexual ou identidade de gênero, destacando que o acesso aos banheiros é garantido de acordo como cada pessoa se identifica, seja homem ou mulher.

A iniciativa, após ser exposta nas redes sociais, teve todos os tipos de repercussões. Textos de apoio, mostrando que a iniciativa da escola é importante na luta contra a transfobia (que leva muitas alunas e alunos trans a abandonarem os estudos). E também de pessoas com receio de que possíveis abusadores cis possam aproveitar o direito e frequentar outros banheiros.

É preciso destacar que não há casos de pessoas que se passem por trans para abusar de outras nos banheiro. Mas o contrário existe: pessoas trans são constantemente violentadas, abusadas e alvo de bullying em banheiros que não correspondem com sua identidade de gênero.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.