Header Ads

Jeffrey Tambor deixa a série Transparent após acusação de assédio sexual


Por NLUCON

O ator cis Jeffrey Tambor não está mais no elenco da próxima temporada da série Transparent, da Amazon. Ele anunciou o desligamento no domingo (19), pouco depois de ser acusado de assédio sexual da atriz Trace Lysette, que é uma mulher trans.

Jeffrey era protagonista da série, vivendo a mulher trans Maura Pefefferman, que assume a transgeneridade na terceira idade para os três filhos, a ex-esposa e amigos.

No comunicado, ele disse: "interpretar Maura Pefefferman em Transparent foi um dos maiores privilégios e uma das maiores experiências criativas da minha vida. Ficou claro nas últimas semanas, no entanto, que esse não é mais o mesmo trabalho que comecei há quatro anos", declarou.

Ele afirmou que lamenta que alguma ação sua foi interpretada como sendo agressiva e que a ideia de que assediaria alguém é mentirosa. "Dada a atmosfera politizada que parece ter atingido nosso set, eu não vejo como voltar à série", declarou. Sendo assim, sua personagem deve morrer na quinta temporada.

A ACUSAÇÃO

Trace Lysette, que está na série com a personagem Shea, acusou Jeffrey de assédio sexual à revista The Hollywood Reporter. Ela declarou que ele fazia vários comentários de cunho sexual e que, em dado momento, passou a assediá-la fisicamente.


Trace e Jeffrey em cena de Transparent

Segundo ela, em um dia em que tinha que gravar uma cena com sutiã e shorts, Tambor disse para ela: "Meu Deus, Trace. Quero atacar você sexualmente". Ela riu pensando ser uma brincadeira pra lá de absurda. A atriz trans Alexandra Billings presenciou o momento e também riu do comentário.

Mais tarde é que ocorreria o assédio. "Minhas costas estavam apoiadas em uma parede quando Jeffrey me abordou. Ele se aproximou, colocou os pés descalços em cima dos meus, de forma que eu não conseguia me mexer e começou a fazer movimentos rápidos e discretos contra meu corpo. Eu senti o pênis dele no meu quadril através do pijama fino que ele vestia e o empurrei", declarou.

Jeffrey negou: "Eu sei que nem sempre fui a pessoa mais fácil de se trabalhar. Eu posso ser volátil, ter um temporamento ruim e frequentemente expresso minhas opiniões de forma sem tato. mas nunca fui um predador, nunca. Eu sinto muito se qualquer ação minha foi mal interpretada por qualquer pessoa como sendo sexualmente agressiva ou se eu ofendi ou machuquei alguém. Mas o fato é que, apesar das minhas falhas, eu não sou um predador, e a ideia de que alguém possa me ver dessa forma é mais perturbadora do que consigo expressar".

Anteriormente, a ex-assistente pessoal, Van Barnes, que é uma mulher trans, também o acusou de assédio.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.