Header Ads

Militante trans Deborah Sabará usa nome social em passagem e é impedida de embarcar em aeroporto


Por NLUCON

A militante trans Deborah Sabará foi impedida de viajar na terça-feira (21) em um voo da companhia Latam, no Aeroporto Eurico de Aguiar Saller, em Vitória. O motivo? Ela estava com o nome social (o nome em que é reconhecida socialmente) na passagem aérea.

Segundo Deberah, ela estava saindo de Vitória rumo a Brasília para um evento sobre a população trans, a convite da União Europeia. A passagem foi comprada pela entidade, na Suíça, e acrescentou o nome social da militante.

Mesmo diante de todas as explicações, Deborah foi impedida de embarcar. Ela conta que todas as sugestões da empresa visavam apenas o lado financeiro e minimizavam o acolhimento à diversidade.

Ela diz que diversos passageiros e funcionários confirmavam que conheciam ela. Ela chegou a mostrar as redes sociais com o seu nome social, sugeriu ainda que abrisse o e-mail para mostrar a conversa com a União Europeia. Mas não teve jeito. A única solução apresentada pela companhia, de acordo com a militante, era a compra de uma nova passagem.

Em postagem no Facebook, ela declarou que se sentiu desrespeitada. "O que me deixa chateada é que a Latam cria uma imagem de diversidade, mas não foi capaz de resolver meu problema. Dizem que valorizam a diversidade social, mas isso não é respeitado. Isso não deixa de ser uma violência. É uma violência contra a mulher trans", declarou.

Por meio de nota, a empresa Latam Airlines Brasil declarou que a diversidade faz parte da cultura da empresa, porém declarou que para o embarque ser realizado é necessário que o bilhete seja compatível com o documento de viagem do passageiro. Disse ainda que é determinação da Agencia Nacionald e Aviação Civil (Anac).

Vale dizer que diversos órgãos e empresas respeitam o nome social (o nome pelo qual a travesti, mulher ou homem trans são conhecidos socialmente em detrimento do nome que está no registro civil), uma vez que evita que a pessoa trans passe por constrangimentos e seja vítima de violência transfóbica.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.