Header Ads

Ex-empresário do pornô revela bastidores de cena "ousada" com atrizes travestis nos anos 80


Por NLUCON

O ex-empresário Marcos Magri revelou em entrevista ao Blog do Paulo Sampaio, do UOL, uma de suas maiores "ousadias" dentro da indústria pornô desde os anos 80. Ele afirma que chocou ao "produzir o primeiro filme com travestis fazendo ativa" e homens cis sendo passivos. 

Até então, travestis e mulheres trans apareciam em filmes apenas como passivas e que homens cis eram os ativos - e esse era o objetivo inicial das gravações do filme em questão. Porém, os papeis se inverteram inesperadamente quando os atores cis encontraram dificuldade de ficarem excitados em cena.

O filme chamado Brazilian in the Boys foi gravado em um sítio em Campinas, interior de São Paulo. E para a cena foram escaladas três travestis e três homens cis, que estavam em anúncios de jornais. Eles chegaram a se encontrar antes para ver se tinham química, o que rolou inicialmente, mas que não se desenvolveu ao chegarem ao sítio.

"Os caras não conseguiam ficar excitados. Eu disse que ia dar uma noite para eles se acertarem na cama, e que, se os homens não conseguissem, iam ter de fazer passivos", conta Marcos. No dia seguinte, ele teve que alterar o roteiro e os atores cis foram passivos em cena tranquilamente. As travestis, por sua vez, mostraram profissionalismo, realizaram a cena e manteram seus cachês. 

Curiosamente, naquele período os filmes eram exibidos nos cinemas voltados para o segmento adulto. Com o sucesso, houve o Brazilian in The Boys número 2. Mas não foram realizadas novas gravações, eles utilizaram as cenas descartadas do primeiro filme. "A gente juntou com outros filmes, fez a chamada compilation. Nem precisava pagar direito autoral, porque o texto era só oh, ah, uh", disse.

Fizemos uma pesquisa, mas não encontramos o nome das atrizes que participaram da obra e nem trechos do filme na internet. Porém, vale dizer que esse tipo de cena, que antes era vista com ineditismo, virou um clichê do pornô com travestis e mulheres trans desde então.

Para quem pensa que o pornô ou conteúdo adulto com travestis é/era algo pouco procurado, se engana. Uma pesquisa do site pornô Red Tube informou que o Brasil é o país que mais consome conteúdo erótico com travestis e mulheres trans, dizendo que 89% tendem a procurar vídeos sobre essa população no site. Os termos mais buscados são "shemale", "travesti" e "brazilian shemale". Militantes contrastam com outro título brasileiro: o de ser o país que mais mata essa população, segundo dados da Transgender Europe. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.