Header Ads

Mulher transexual Grazyelle Silva é agredida e atropelada no RJ: "Não me sinto segura"


Por NLUCON

A mulher transexual Grazyelle Silva, de 28 anos, é mais uma vítima da violência transfóbica. Ela foi agredida e atropelada na manhã do último domingo (18), na Avenida das Américas, no Rio de Janeiro.

Segundo ela, o rapaz a agrediu pelo simples fato de não aceitar que ela é uma mulher trans. "Com raiva, com ódio, ele me atropelou". Ela passou por uma cirurgia no hospital Municipal Pedro II para a reconstrução da perna esquerda.

"Quebrei a minha perna, quase amputei meu pé porque passei por uma cirurgia muito grave. Estou de repouso extremo sendo medicada e espero que isso não fique impune. Até onde vai esse preconceito, essa transfobia, essa homofobia contra a gente?”, questionou Grazyelle ao G1.

A vítima denunciou o caso à Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Ceds Rio) na segunda-feira (26). E só pôde registrar queixa na delegacia na quarta-feira (28) porque esteve imobilizada na cama. "Não me sinto segura", declarou.

Apesar da violência, Grazyelle conseguiu fotografar o rosto do agressor e a placa do carro. As imagens devem ajudar a polícia nas investigações. O coordenador especial da Diversidade Sexual, Nélio Georgini, afirmou que vai intensificar a campanha contra a LGBTfobia na Zona Oeste.

“As pessoas nos procuram por que se sentem seguras e trazem suas denúncias para que possamos ajuda-la com o estado, seja na polícia, seja com o Rio Sem Homofobia, para que elas tenham acesso à máquina, para que crimes como esses possam ser acompanhados pelos iguais e para que o estado investigue e traga resultados”, disse Georgini.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.