Header Ads

“De peito aberto”, homem trans Logan Medeiros faz vakinha para realizar cirurgia


Por Neto Lucon

“De peito aberto”. Este é o nome da campanha do social media e homem trans Logan Medeiros, de 25 anos, por meio da plataforma Vakinhas.com para conseguir custear e realizar a mastectomia (cirurgia que masculina o peitoral). Segundo ele, que mora em Maceió, Alagoas, o procedimento vai além de uma questão estética, é uma necessidade para a sua saúde.


Logan conta que os problemas surgiram da necessidade de disfarçar o volume do peitoral e fazer o uso de binder – uma faixa compressora no torso. Por conta do uso diário e constante, ele sente dificuldade de fazer exercícios, muitas dores nas costas, dificuldade para se concentrar, crises de asma, além de não conseguir se sentir confortável ao se ver no espelho. 

O social media afirma que a decisão para o financiamento coletivo não foi fácil, sobretudo porque ele é tímido e estaria muito exposto. Mas que foi o método que encontrou para que o sonho, tão distante devido ao alto custo, cerca de R$ 13 mil, se tornasse uma possibilidade real.

“Tenho certa urgência para a realização dessa cirurgia, porque minhas crises de asma tem sido constantes, por causa da faixa compressora que uso no torso. Além disso, também não consigo fazer exercícios físicos de forma correta, isso prejudica a minha saúde. Quando faço provas ou preciso ficar muito tempo usando sinto muitas dores nas costas, é difícil concentrar tendo que sempre arrumar uma posição que seja menos incômoda. Não sei o que é tomar banho de mar sentindo a água fresca e o sal nas costas, pois estou sempre de camisa. E ainda não conheço plena satisfação de me olhar no espelho e me sentir 100% completo”, alegou.

Para contribuir com a campanha, Logan também tem uma lojinha de moda hippie/tie dye, filtro dos sonhos e imãs. Todo o dinheiro será revertido para a campanha. E ele também aceita doações de objetos para serem vendidos. Você pode entrar em contato por meio do Instagram (clique aqui). 

UNIVERSO PARALELO

Logan afirma que durante toda a infância sabia que tinha dois nomes. Aquele escolhido pela mãe e pela avó, atribuído ao gênero feminino designado no nascimento. E aquele que permeava o universo paralelo em que ele vivia na infância e que atribuía ao gênero masculino. Era este que o representava.


Ele passou grande parte da infância e adolescência fantasiando uma vida que parecia ser impossível de alcançar. “Com seis anos cortei a orelha tentando fazer a barba sem espuma. Esperava meu irmão sair para usar suas roupas e perfumes só para ficar me olhando no espelho. Namorei meninas pela internet ‘me passando por outros garotos. E ficava super feliz quando pessoas desconhecidas me chamavam no masculino”, lembra.

Foi na vida adulta que ele se deparou com a palavra “transgênero” e tudo mudou.

UNIVERSO REAL

Perceber-se um homem trans fez com que Logan enxergasse uma luz no fim do túnel. “Todos aqueles sonhos engavetados se tornaram realidade”. Daí, então, assumi o que sempre fui: O Logan”, revela ele.

Além de vivenciar a sua verdadeira identidade, Logan passou pelo chamado “processo transexualizador” por meio de testosterona e viu a possibilidade de adequar ao seu corpo da maneira como sempre quis. A cirurgia no peitoral é uma das atuais necessidades que sente.

Os benefícios vão desde a possibilidade de andar sem camiseta ou vestindo regata. Tomar banho de mar sem ter que esconder o peitoral. Se exercitar com uma postura correta. Olhar no espelho e se sentir confortável com o próprio corpo. Não precisar mais usar uma faixa compressora para disfarçar o volume do peitoral.


“Com o peitoral reconstruído, poderei ser mais feliz e saudável, além de poder ter as pessoas alegrias que a maioria das pessoas tem e nem percebe. Por isso conto com sua ajuda de peito aberto”, finaliza o jovem, que não quer mais fingir e tampouco ficar no universo paralelo. Agora é o momento de ser feliz e colocar em prática todos os seus sonhos.

Quem quiser e puder doar, clique aqui
Nós estamos na torcida!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.