Header Ads

Escritor e ativista trans Jordhan Lessa anuncia pré-candidatura a deputado estadual do RJ


Por Neto Lucon

O servidor público, escritor e ativista pelos direitos humanos Jordhan Lessa anunciou nesta sexta-feira (13) a pré-candidatura a deputado estadual do Rio de Janeiro. Ele, que se tornou conhecido pelo livro “Eu Trans” e por lutar pela pauta dos homens trans, inclusive no trabalho como Guarda Municipal, concorre pelo PCdoB e é o primeiro homem trans a anunciar a pré-candidatura até o momento.

Jordhan afirma que aceitou sair pré-candidato após receber o convite da UNEGRO – União de Negros pela Igualdade – por meio da presidenta Claudia Vitalino – e ao se reunir na quinta-feira (12) com integrantes do partido. O pré-candidato recebe apoio da União Nacional LGBT, Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública e de outras entidades.

“O que me motivou a aceitar o convite foi a importância de termos gente nossa lá, que saiba o quanto dói lutar diariamente por direitos básicos nos poderes legislativos. As possibilidades de mobilização interna e externa estando lá para fazer acontecer e alcançar nossos objetivos serão muito maiores, visto que hoje são quase inexistentes. São poucas as pessoas com que podemos contar verdadeiramente, porque a maioria acena com possibilidades que se desfazem diante de outras pautas que não são as nossas, nos colocando para o final da fila e para quando sobrar tempo para nós”, afirma ao NLUCON.

Outra motivação é o atual momento político, onde muitas pessoas estão adoecidas, desacreditadas e deixando a luta coletiva. “Isso nos enfraquece e, apesar de todo receio que nos atinge, penso que não é a hora de recuar, pois se assim fizermos estaremos fazendo o que esperam de nós. Não é hora de recuar”, frisa.

Jordhan afirma que acha importante e necessárias as futuras candidaturas trans. Ele destaca, todavia, a ausência de candidatos homens trans ou transmasculinos na disputa pelas eleições. “A gente não vê candidatos homens trans, assim como não os vemos em vários espaços. Muitos de nós ainda não se reconhecem como trans, outros se reconhecem, mas são muitas as dúvidas, tem aqueles que passam pela transição e se inserem na multidão. Temos que respeitar todos. Eu espero colaborar para que no futuro isso mude e que sejamos mais em todos os espaços, lado a lado com as travestis e mulheres transexuais, que são nossas precursoras”.

Por quê o PCdoB? Jordhan revela que em 2016 foi já havia sido convidado pelo presidente do PCdo de Maricá a ser pré-candidato a vereador. Naquele ano, ele era o primeiro homem trans diretor LGBT da UNEGRO na cidade, realizou a primeira Roda de Conversa Transnegra da cidade e trouxe o debate com o recorte racial das pessoas trans e travestis para o partido. Recuou devido a morte da mãe. “Desde então busquei conhecer mais sobre a história do partido e percebi que é uma questão de afinidade e solidez. Um partido que completou 96 anos e mesmo diante dos altos e baixos, se mantém firme e merece o meu respeito”.

Jordhan durante a reunião

Com Théo Silveira, coordenador estadual da UNEGRO


O partido ainda fará o lançamento oficial das candidaturas, mas não há data definida. A campanha só deve começar em agosto. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.