Header Ads

Caminhoneiros e ativistas trans comentam greve histórica no Brasil; confira depoimentos


Por Neto Lucon

A “greve dos caminhoneiros” tomou os noticiários do Brasil, parou avenidas e mexeu com a vida de muita gente. Há oito dias os reflexos da paralização afetaram mercados, postos de gasolinas, escolas, hospitais, aeroportos, correios e no setor econômico nacional.

A greve começou na segunda-feira (21) contra a alta dos preços e impostos. No dia 18, eles pediram para zerar a carga tributária sobre o diesel (PIS/Cofins). Mas no dia 19 houve o quinto reajuste diário do diesel, elevando em 0,80% e os de gasolina em 1,34% nas refinarias. O aumento é de 21% entre julho de 2017 e a metade de 2018.

No total foram 24 estados em greve e com pontos de bloqueio nas avenidas. A maioria impedia a passagem dos caminhões, mas permitia a passagem de carros. Houve confrontos com a polícia, tentativas de negociação com o presidente Michel Temer (PSB) e reflexos diretos na vida de muitos brasileiros que não tiveram produtos reabastecidos.

Nas negociações com entidades de caminheiros, Temer anunciou no domingo (27) a redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias, o estabelecimento de uma tabela mínima dos fretes e a isenção da cobrança para eixo suspenso de caminhões vazios, em rodovias federais, estaduais e municipais. Houve quem aceitou e quem frisa que nem todas as reivindicações foram atendidas.

Nas redes sociais e rodas de conversa, o debate sobre a greve é frequente. Há quem diga que a manifestação é legítima e que eles devem continuar, outras ponderam que afetam muita gente, há quem questione uma greve que é incentivada por patrões e até aponte locaute, prática ilegal de patrões de um determinado setor impedem os trabalhadores de exercer a função. Há quem até peça intervenção militar.

Diante dessa questão, pedimos para algumas pessoas trans opinarem sobre a greve. Confira:


🚛 RESULTADO DEVE SER POSITIVO - Klettos Alexsander, motorista


“Isso tinha que acontecer faz tempo, ando nessas rodovias do nosso país, temos um dos combustíveis mais caros do mundo, os rodovias pedagiadas com valores exorbitantes, não temos segurança, não temos apoio satisfatório, sofremos pra caramba longe de casa longe da família pra ganhar o sustento, e o governo da combustível para o país vizinho praticamente de graça. Então, para mim, o que tá acontecendo é pouco.

Quem trabalha com transporte, caminhão guindaste, qualquer tipo de transporte sabe que é uma categoria importante. Caminhões são as veias do nosso país , interliga de norte a sul, então é preciso ter responsabilidade com esses trabalhadores e escutar o que eles estão falando. Por trás de tudo isso vem um resultado positivo.

Detalhe: isso não será uma luta só nossa, é do coletivo, transportes público é caro demais, péssima qualidade, muitos pedágios, gasolina com valor abusivo, o diesel nem se fala... Para rodar nas rodovias do país tá quase impossível, os impostos do óleo e outros derivados do petróleo como até o GPL tá um valor tão alto que tem que pensa duas vezes para rodar. Sem falar que causa um desemprego desgraçado, porque fica muito caro para uma transportadora manter funcionários com tantas tarifa, encargos etc...”



🚛 PREÇOS ESTÃO ABUSIVOS - Léo Barbosa: militante e estudante de direito


“Tem um monte de gente falando que a greve é patrocinada pelos patrões, grandes transportadoras e etc. Que apenas 30% dos caminhoneiros são autônomos e que há manipulação para um golpe militar etc....Mesmo que somente 30% seja autônomo é importante lembrar que os preços, realmente, estão abusivos não só no diesel, como também nos demais combustíveis. E que isso se deu pela má gestão atual que praticamente doou nosso pré sal e nos colocou a mercê do mercado.

Poderíamos estar escrevendo outra história se isso não tivesse ocorrido, mas enfim, o direito à greve é constitucional e quando relativizamos esse direito, colocamos empecilhos pra que outras categorias também exerçam. Tá, tem interesse patronal? Tem. Mas os preços e as taxas não estão mesmo abusivas? Então se forem abaixados os 30% que é autônomo também não se favorecerá?

E quanto a manipulação... No Brasil qualquer agrupamento de pessoas já vira algo político de esquerda ou de direita. É óbvio que quem reivindica direitos está se posicionando politicamente e quando tem um número considerável de pessoas grupos políticos se aproveitam para apoiar ou criticar a manifestação. Não acredito que todos sejam para um lado ou para o outro, eles estão juntos num tema comum, mas politicamente, creio que lá existem pessoas de todos os lados, até pro monarquia.

O que importa realmente, é que possam exercer seus direitos constitucionais. E se a população entendesse isso, apoiaria não só os caminhoneiros, mas também os professores e todas as outras classes que também estão perdendo todos os dias com esse Desgoverno e com essa Deforma trabalhista. A solução está nas mãos do povo, mas é preciso que o povo pare de se dividir em quem pode e quem não pode ter direitos, porque tá todo mundo indo para o mesmo buraco”.



🚛 Vivemos em péssimas condições - Renato Pedro, motorista

“Não estou caminhoneiro hoje, mas tenho profissão de motorista e por onde passei vi as péssimas condições que enfrentamos todos os dias. Somos verdadeiros guerreiros, sem demagogia. Ganha-se mal, dorme-se mal, come-se mal.

Essa greve deveria ser ainda muito mais forte. Mas já podem sentir que todas as classes de motoristas são super importantes em qualquer lugar do mundo.

O governo nunca se importou com investimentos a nada, nem mesmo com as estradas. Agora querem atribuir a culpa aos empresários logísticos que para se manterem em pé pagam propina para todo lado principalmente no setor fiscal".



⛽ ESTRANHO - Doria Miranda, militante

 “Acho interessante. O estranho é patrão apoiando essa greve. Mas é Brasil e ninguém sabe onde pode parar”.



🚚 LOCAUTE - Victor Hugo Vilas Boas, estudante de direito

"Locaute, a princípio uma prática proibida no Brasil. Mas observando a manobra constatamos: mídia omissa quanto a greve, sem medidas drásticas de contenção aos manifestantes, a greve se tornou festa em diversos estados com direito a som, forró e churrasco. Nenhum patrão cogitou demissão ou ameaças de dispensa, nenhuma multa aplicada as empresas por conta da paralisação que afeta não somente os combustíveis, mas a manutenção da ordem social.

Uma manobra empresarial de grande porte com o intuito de diminuir imposto para os empresários, aumentando lucro e faturamento pois o real problema da gasolina se mantém mesmo que haja redução do valor será mínimo, o que reduzirá em suma será taxas e impostos que as empresas antes pagariam e hoje pleiteiam isso de forma maquiada através da greve de caminhoneiros.

Os grevistas não arriscariam seus empregos nem peitariam patrões parando tudo se não tivesse recebendo o apoio dos próprios. É golpe por cima de golpe que nosso país cava um abismo dia pós dia. E os analfabetos políticos clamam por intervenção militar desconhecendo a história do Brasil de censura vivida em 64, de intolerância e falando em economia da inflação mais alta da história. É realmente um ensaio ao retrocesso!"



 Não é partidário - João Cícero, ativista

“Sou homem trans e tenho um avô que foi caminhoneiro boa parte da vida dele antes de se tornar prefeito da cidade onde moro. Para mim não tem viés político algum, é desobediência civil de pessoas unidas em prol de uma causa. Pessoas com credos e com ideologias distintas.

Nenhuma mídia apoia, mas o triste é ver que tanto a esquerda quanto a direita, quando veem um movimento sem levantar bandeira e apenas em prol de um bem comum, acham que estão vendo um jogo de futebol e precisa ter um time.

É válido e pra mim vai trazer muitos benefícios. Do mesmo modo que a direita inventa fake news, a esquerda está fazendo, dizendo que a mídia apoia e etc. Mas não. Os patrões apoiam porque no meio de autônomos, existem os de transportadoras, e de um lado e de outro, preço de combustível pesa. É uma união por um bem comum, simplesmente.

Locaute está sendo usado de maneira falaciosa por boa parte da esquerda, e olha que eu me simpatizo com muitas políticas de esquerda, embora seja uma pessoa questionadora e por isso não adoto lados ou partidos e apenas posicionamento quando é algo que concordo, sabe? Sem bandeira. A falta de uma bandeira muda muito as pessoas que estão vendo apenas ego e visibilidade e não as causas do movimento. É isto.



 DOIS PONTOS - Paulo Vaz, designer

Dois pontos. Primeiro: acho válido os caminhoneiros não transportarem as cargas, e ninguém pode forçá-los a trabalharem por isso! Segundo: paralisar as rodovias/estradas, obstruindo por muito tempo, não acho válido, pois muita gente vai precisar se deslocar por N motivos! Acho q só de NÃO trabalhar, já faz um grande efeito!



🚛 APOIA - Amanda Palha, educadora popular, militante LGBT e comunista

"Toda solidariedade à greve dos caminhoneiros! Eu sei que atrapalha a nossa vida, eu sei que é foda. Mas é pela gente também. As políticas do (des)governo Temer tem piorado ainda mais a nossa vida, e o desmonte da Petrobrás e a alta dos preços é uma parte disso.

Além disso, essa greve serve pra mostrar pra gente ainda que as elites explorem a gente e lucrem as nossas custas, quem faz o mundo funcionar é a gente e se a gente quiser parar, É CAOS! TUDO PARA. Essa é nossa arma histórica. A gente tem mais é que tomar tudo de assalto. TUDO NOSSO!"



QUER COMENTAR? Envie um e-mail para holtneto@gmail.com, com o texto, foto, nome e profissão, e aguarde a publicação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.