Header Ads

16ª Caminhada Lésbica e Bissexual de SP lembra Mariele Franco e luta contra a criminalização da pobreza, o genocídio e intervenção militar


Por NLUCON

Em sua décima sexta edição, a Caminhada Lésbica e Bissexual ocorre neste sábado (02) em São Paulo, e traz gritos, reivindicações e pautas de diversos coletivos que atuam na luta em prol dos direitos das mulheres lésbicas e bissexuais.

+ Tentaram matar Marielle Franco, mas sua voz ecoou


O tema deste ano é "Somos Marielle: contra a criminalização da pobreza, o genocídio e a intervenção militar". Ele aborda o assassinato da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro.

Marielle era bissexual, feminista, negra e militante dos direitos humanos. Foi assassinada a tiros no Rio de Janeiro no dia 14 de março de 2018, após sair de um encontro com mulheres negras. O crime tomou repercussão nacional, mas as investigações ainda não prenderam os autores.

A concentração ocorre a partir das 14h na Praça Oswaldo Cruz, onde serão confeccionados cartazes. A caminhada começa às 16h a caminho do Masp (Museu de Arte Moderna de São Paulo), que contará com diversas apresentações artísticas.

Vale dizer que a caminhada, hoje integrando a programação da Parada do Orgulho LGBT, que ocorre no domingo (03), surgiu do apagamento das mulheres lésbicas e bissexuais de diversos coletivos e da necessidade de falar sobre as especificidades da lesbofobia, bifobia e machismo que assolam a sociedade.

Diferente de outras caminhada e manifestações que contam com patrocínio de grandes marcas ou apoio governamental, a Caminhada pede doações para o público com a finalidade de pagar as apresentações artísticas, custos de transporte e alimentação que ficarão no valor de R$5. As doações se encerram neste sábado (02). Clique aqui e faça sua doação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.