Header Ads

Divina Diva, Brigitte de Búzios dá adeus aos 74 anos no Rio de Janeiro


Por Neto Lucon

Brigitte de Búzios, uma das artistas travestis mais conhecidas desde os anos 60 e integrante do grupo Divinas Divas, disse adeus aos 74 anos. Ela ela foi encontrada morta na quarta-feira (06) em seu apartamento, onde morava sozinha, em Copacabana, Rio de Janeiro.

A causa da morte não foi revelada, mas relatos de amigos revelam que a artista estava com depressão e debilitada desde o falecimento  de Rogéria e da perda de uma tia que morava com ela - e que ela sempre demonstrava muito carinho e atenção.

Brigitte foi protagonista ao lado de outras cinco artistas trans do filme "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal. A obra, que tornou-se bastante premiada em festivais de cinema em 2016 e 2017, aborda a vida e carreira da primeira geração de artistas travestis do país, que superaram a desinformação, ditadura e abriram caminhos.

O filme também promoveu um espetáculo em comemoração aos 50 anos de carreira, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro.


Foi no documentário, por exemplo, que a artista comentou que a tia pediu para ficar alguns dias em sua casa, mas que quando percebeu ela já estava morando de vez. O momento inusitado, corriqueiro e tão humano tira risos do público. A relação ficou forte, tanto que Brigitte chegou a interromper um dos ensaios, que correria noite afora, para dar atenção à familiar. 

DIVERTIDA E INTELIGENTE


A carreira artística começou aos 17 anos, quando começou a se apresentar como dançarina, cantora e atriz, sempre trazendo pitadas de humor e sensualidade. Foi um dos destaques do Teatro Rival, de Américo Leal, no Rio de Janeiro, e arrasou no espetáculo Les Girls (1964), dentre muitos outros espetáculos. 

Em entrevista, declarou que era filha única e que os pais passaram a aprovar o fato de ser uma artista travesti e que até gostavam de vê-la se apresentar.

Brigitte em Les Girls (1965) e recentemente, no prêmio Claudia Celeste

Não demorou e aos 21 anos estava brilhando na América do Sul e nos Estados Unidos - que ela dizia amar e cogitava morar. Teve carreira internacional e era apontada como uma das mais glamourosas e inteligentes das trupes. Continuou com suas apresentações pelo mundo todo, até que, ao chegar na terceira idade, passou a levar uma vida pacata, escolhendo muito bem os convites e oportunidades. 

Em 2007, participou da novela "Paraíso Tropical", da TV Globo, e também do filme "Berenice Procura", que está prestes a estrear no cinema nacional.

"DORMIU E DESCANSOU"


A morte da artista representa mais uma grande perda na geração de artistas trans desbravadoras e importantes na história do país. Para quem fica, apenas saudades. Tanto que Natara Nery, editora do filme Divinas Divas, declarou que ao chegar em seu apartamento, o síndico, porteiros, vizinhas, dono da banca de revista, o dentista todos estavam tristes e perdidos.

"Percebi mais uma vez a revolucionária que ela foi, nesse mundo semeado de ódio, Brigitte espalhou alegria e amor. Domou a vida, namorou Lou Reed, dispensou Lou Reed, pirou, despirou, provocou. Ela se foi depois de terminar suas missões, cuidou da mãe, da tia, dos amigos. Não tendo mais de quem cuidar dormiu e descansou, simples e poético. No cemitério canções, palmas, risos e lágrimas grossas. As lágrimas sumiram rápido porque é impossível lembrar de Brigitte sem que um sorriso se instale no rosto". 


Brigitte foi sepultada no cemitério do Caju, Rio de Janeiro. Na despedida, amigos, fãs e familiares fizeram uma oração e de mãos dadas cantaram La Vie En Rose e o música: "Ser mulher, é muito fácil para quem já é / Mas para quem nasce para ser João, é um sacrifício a transformação". 

Para a divina diva Valéria, que lamentou não conseguir ir ao enterro devido a um trabalho em São Paulo, ainda há a expectativa de cantar ao seu lado outra música. "Difícil controlar a emoção, a tristeza e o pranto. Passamos juntas o último réveillon e na missa da Claudia Celeste ela me trouxe um lindo broche pessoal de presente. Creio que já estava premeditando partir. Estava muito debilitada e deprimida. Que descanse em paz minha mana querida. Um dia estaremos juntas cantando Les Girls".

Obrigado Brigitte!


Brigitte em ensaio do filme "Divinas Divas"

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.